Quase todo mundo já ouviu falar dos famosos aplicativos de relacionamento, paquera ou namoro. Eles estão se tornando cada vez mais populares em todo o mundo. Com apenas alguns toques de tela, você pode conhecer gente do mundo todo. Entretanto, pra fazer sucesso nessas plataformas, é preciso entregar diversos dados pessoais. E é aí que começam os riscos dos apps de relacionamento: alguns deles podem tornar os seus dados vulneráveis.

Ou seja, a internet pode jogar contra você se não souber usá-la com responsabilidade. A maioria das pessoas que se cadastram em apps de relacionamento não está atenta a sua segurança digital. Os riscos ao usar esses apps incluem descoberta da identidade e da localização aproximada do usuário, transferência de dados, chantagem, extorsão e abuso digital.

Para evitar esses perigos, vamos explicar como funcionam os apps de relacionamento. Vamos falar sobre os principais riscos relacionados a esses apps e apresentar algumas dicas do que você pode fazer para se proteger. Com atenção e cuidado, você vai ver que dá pra usar a internet pra encontrar sua alma gêmea ou apenas conhecer alguém interessante pra um encontro sem compromisso!

CONTRATE AQUI SEU NOVO PLANO DE CELULAR!

Como funcionam os apps de relacionamento

Cada app de relacionamento tem seu diferencial, mas a maioria deles funciona por meio do acesso a dados pessoais disponíveis em redes sociais do usuário ou fornecidos pelo telefone celular. Além disso, quase todos estes aplicativos têm acesso a funcionalidades adicionais do dispositivo móvel, como a câmera, o microfone, o armazenamento, a localização GPS ou a aplicativos de pagamento.

A maioria dos aplicativos precisa desses dados para rodar algoritmos que são usados para determinar os gostos e preferências em comum entre as pessoas cadastradas e aí sugerir os encontros. O problema surge quando esses aplicativos não usam comunicações seguras e apresentam falhas na privacidade dos usuários.

📲A internet do seu celular acaba rápido?

Venha para a TIM e navegue à vontade!

Em um mercado onde o número de usuários cresce a cada dia e a concorrência é altíssima, muitas empresas dão um passo maior que as pernas e acabam disponibilizando produtos sem os níveis de segurança adequados. Por fim, pela própria natureza dos apps de relacionamento, muitos usuários não querem ser identificados ou relacionados com suas outras redes sociais. Isso torna qualquer tipo de vazamento de informação ainda mais preocupante.

Principais apps de relacionamento

O Tinder é um dos apps de relacionamento mais populares, aceito pelos sistemas Android, iOS e Windows Phone. A partir de dados do Facebook, o aplicativo utiliza algoritmos para mostrar os contatos e interesses em comum entre duas pessoas, permitindo que se criem vínculos amorosos ou até mesmo amizades.

Apesar de levar a mesma proposta de se conhecer pessoas novas, o Happn tem um grande diferencial em relação ao Tinder: seu principal mecanismo de busca baseia-se na geolocalização do usuário, e não em amigos ou interesses em comum. Dessa forma, utilizando o serviço de localização do smartphone, o aplicativo mapeia as regiões por onde o usuário passa, mostrando uma lista de pessoas com quem ele cruzou nestes lugares.

O Badoo é outro aplicativo gratuito disponível pra paquera. Funciona em diversos sistemas, da web ao aplicativo para Android, iOS e Windows Phone. Você pode fazer o cadastro no site ou aplicativo próprio do Badoo, ou logar via Facebook também. Assim como nos tempos de Orkut, no Badoo é possível ver quem visitou o seu perfil. Em 2013, ele chegou a ser a terceira rede social mais acessada do Brasil.

Já o Grindr é conhecido como a versão do Tinder para homens homossexuais. A interface é semelhante à do Happn, com diversos pretendentes na página inicial, e é possível filtrá-los em categorias como “pai”, “discreto” e “geek”. Também é possível determinar características como idade, peso, altura, tipos de corpo e status de relacionamento.

Perigos dos apps de relacionamento: descoberta de identidade

Pesquisadores da empresa de segurança digital Kaspersky analisaram os nove aplicativos de namoro mais populares do mundo. Em meio ao estudo, quatro deles (Tinder, Happn, Paktor e Bumble) permitem que qualquer pessoa utilize os dados fornecidos pelos próprios usuários para descobrir quem está por trás de um apelido.

Na maioria dos casos, é possível relacionar o apelido de um usuário às contas dele em outras mídias sociais. Em outras palavras, com pouco esforço, qualquer pessoa consegue descobrir a identidade do usuário: desde o nome completo até o local de trabalho.

Perigos dos apps de relacionamento: redes sociais

Muitos deste aplicativos são ligados às redes sociais, como Facebook ou Instagram. Apesar de uma boa ideia para que você saiba que conexões têm com as pessoas com quem interage, o problema disso que é você pode estar revelando detalhes muito pessoais a um desconhecido, que pode utilizar esses dados para saber de sua rotina e aplicar golpes.

O ideal é não fazer a integração com a rede social, ou, caso seja necessário fazer, limitar a visualização de seus posts, fotos, local de trabalho e e-mail apenas para amigos.

Perigos dos apps de relacionamento: pedidos de dinheiro e chantagem

Engenharia social é um método de ataque que se aproveita da fragilidade emocional das pessoas para persuadi-las a enviar dinheiro, números de documentos ou simplesmente clicar em links maliciosos, que irão levar um vírus a seus dispositivos. Ao fazer amizade com alguém online, desconfie se as demonstrações emocionais começarem a ser atreladas a pedidos de dinheiro ou informações pessoais que não seriam relevantes para a continuidade de uma conversa. Além disso, evite clicar em links que levem a sites desconhecidos.

Por fim, evite o envio de vídeos e fotos íntimas. Embora seja uma prática comum, pode ser muito perigosa caso o destinatário opte por chantagear uma pessoa de quem se aproximou justamente para isso. Além disso, uma informação como essa pode ser interceptada caso o dispositivo do usuário, tanto o que envia como o que recebe, esteja infectado por um vírus ou acesse uma rede Wi-Fi pública ou desprotegida.

Casos de vazamentos envolvendo apps de relacionamento

Em 2017, uma falha de segurança do Tinder expôs mais de 40 mil fotos de usuários. Valendo-se de uma vulnerabilidade, as imagens foram baixadas pelo programador norte-americano Stuart Colliani. Ao que tudo indica, Colliani usou as fotos em uma pesquisa voltada para inteligência artificial.

O programador criou um aplicativo capaz de acessar o banco de dados do Tinder e fazer o download das imagens. Teoricamente, apenas quem tem o app de relacionamento instalado seria capaz de visualizar os perfis e as fotos dos participantes, mas como Colliani conseguiu fazer o download de milhares de imagens sem sequer ter uma conta.

❌Chega de ficar sem internet!

Na TIM, você navega à vontade e dispõe de uma série de benefícios exclusivos.

Ainda em 2017, a jornalista britânica Judith Duportail, do jornal inglês The Guardian, solicitou ao Tinder o acesso a seus dados pessoais. Para a sua surpresa, o aplicativo reunia 800 páginas com todas as atividades da jornalista: de curtidas no Facebook a fotos de uma conta que já havia sido deletada do Instagram. Por mais que, na teoria, essas informações fiquem inacessíveis a terceiros, corre-se o risco de vazamento de dados.

Como se proteger

Aplicativos de namoro são parte do nosso cotidiano e uma das principais formar atuais de interação social. Nesse mundo altamente conectado, eles podem ser um incrível facilitador. No entanto, para utilizá-los sem risco e poder aproveitá-los ao máximo, é fundamental que as pessoas prestem atenção na privacidade de suas informações e com quem dividem dados sigilosos.

Portanto, seguem algumas dicas de como se proteger nos apps de relacionamento:

  • Preste bastante atenção aos dados que está facilitando na hora de baixar um app de relacionamento. Jamais revele seu endereço de e-mail pessoal ou de trabalho nem o relacione à sua conta de redes sociais. Aliás, evite fornecer seu nome completo e local de trabalho
  • Só se conecte a redes seguras e privadas. Assim, será mais difícil que os hackers roubem suas informações
  • Instale em seu smartphone sistemas antivívrus e de segurança digital. Eles evitam que você acesse páginas sem criptografia e impedem a execução de códigos maliciosos em seu dispositivo
  • Nunca revele informações pessoais a estranhos como números de telefone, perfis em outras redes, ou números de contas bancárias ou cartões de crédito.

Quer saber mais sobre as últimas novidades em tecnologia? Então, não deixe de conferir nosso blog. Dessa forma, você está sempre por dentro das últimas tendências do mercado tecnológico, smartphones, games, internet e muito mais. Além disso, fica bem informado e toma sempre as melhores decisões! 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui