O Brasil é o segundo mercado de aplicativos que mais cresce no mundo, segundo dados da empresa Adjust, de análise e prevenção de fraudes nesse setor. Figuramos atrás de Indonésia e à frente da Coreia do Sul. Por isso, práticas de como criar um aplicativo se tornaram cada vez mais comuns. Descubra o que você precisa fazer para elaborar um nesse post.

O interesse dos usuários por aplicativos que resolvam todo tipo de problema faz abundar a oferta de apps nas lojas dos sistemas Android e iOS. Para você ter uma ideia, só na Apple Store, por exemplo, são mais de 2 milhões de opções para fazer download, dedicadas às mais variadas funções, como ensinar outro idioma, promover a meditação ou ensinar a fazer jardinagem.

Fato é que esse “mercado” movimenta muito dinheiro e pode ser um caminho para quem deseja investir (ou investir ainda mais) no seu empreendimento digital. Em 2019, o segmento de aplicações móveis faturou nada menos do que US$ 83,5 bilhões, o que evidencia todo o potencial de consumo dos usuários.

Em suma, criar um aplicativo ficou bem mais fácil. Então, se você quer saber como criar um aplicativo, seja para seu empreendimento, seja para que ele mesmo seja seu empreendimento, vamos te dar algumas dicas bem pontuais.

QUER REDES SOCIAIS LIBERADAS PARA SEU CELULAR? AQUI NA TIM TEM!

Leia também: Nômade Digital: o que você precisa para trabalhar viajando o mundo

Empreendedorismo digital: saiba como idealizar um aplicativo

O mercado de aplicações móveis conta com submercados que, de certa maneira, divergem no seu retorno financeiro. Por exemplo, o nicho de games é indiscutivelmente o mais lucrativo, sendo que a fatia pela qual ele foi responsável em 2019 representa US$ 61 bilhões do lucro total do setor.

Ainda assim, em termos de potencialidade os aplicativos têm muitos direcionamentos, o que faz ser possível que uma boa ideia conquiste seu espaço e, mais do que isso, a sua parcela de retorno financeiro. Porém, para estabelecer bem o direcionamento do app, é preciso responder a algumas perguntas durante a estruturação do projeto.

Se você tem uma ideia, tente colocar no papel as respostas para os questionamentos abaixo:

  • Qual o objetivo do seu aplicativo?

Entender o objetivo do seu aplicativo pode ser fundamental para que você consiga determinar, por exemplo, qual seria seu alcance em termos de usuários. À parte dos aplicativos que promovem lazer, como os games, há muitos que têm finalidades bem particulares.

Aplicativos para meditação, para relaxamento, para cortes de cabelo, para monitoramento do ciclo menstrual, para auxílio à sua gravidez, para organizar suas finanças, entre muitos outros. Por isso, é bom que você compreenda bem a que seu aplicativo vai se dedicar.

  • Qual o público-alvo, a partir do objetivo?

Depois de você estabelecer o objetivo do seu aplicativo, fica mais fácil compreender o porquê de as pessoas precisarem dele. E, a partir daí, você consegue delinear um perfil de usuário que faria o download do seu aplicativo na loja do seu celular.

Com esse perfil estabelecido, você consegue antecipar feedbacks e pesquisas com o seu público antes mesmo de criar a aplicação.

Como há investimento envolvido em todo o empreendimento digital, saber se haverá mercado para as suas ideias pode ser a peça mais importante desse quebra-cabeça que é compreender como criar um aplicativo.

  • Você já fez alguma análise de mercado?

Quando falamos para analisar o mercado, não é necessário contratar uma empresa que realize pesquisas imensas nem nada disso. O detalhe aqui é que há muitas formas de avaliar se os usuários da internet procuram por aquilo que você pretende oferecer.

Por exemplo, veja se os aplicativos contra os quais o seu concorrerá têm um número satisfatório de downloads nas lojas de apps.

Se não houver o nicho e você o for inaugurar, a coisa muda um pouquinho de figura. Nesse caso, você pode elencar palavras-chave que acha que levariam ao seu produto e analisar o quanto essas palavras já foram buscadas. No Google, a plataforma Google Trends apresenta gráficos bem interessantes sobre ascendência ou descendência dessas pesquisas.

Quer um exemplo? Desde que a pandemia do coronavírus impôs a quarentena e o fechamento do comércio, no Brasil a pesquisa por “corte seu cabelo você mesmo” se multiplicou vertiginosamente, e os tutoriais surgiram aos montes no YouTube. O Trends mostra todas essas tendências!

Como criar um aplicativo na prática

Depois de idealizar o aplicativo, é chegada a hora de colocar a mão na massa e dar corpo ao projeto. Assim, é preciso dar vida à programação para que sejam cumpridas todas as etapas de um lançamento.

Para que você compreenda, um aplicativo não é simplesmente lançado no mercado sem que passe por algumas etapas anteriores, tradicionalmente obrigatórias (caso você queira fazer tudo certinho). Por exemplo, a criação do layout antecede ao próprio projeto em si, pois é preciso ter um objetivo a seguir antes de sair criando seu aplicativo.

Além disso, as etapas de testagem são superimportantes, e todas as funções do app precisam ser testadas e re-testadas, o fluxo de condução do usuário precisa ser interpretado como condizente com aquilo que foi proposto, além de o layout geral ser aprovado não só por você mas por outros usuários, testadores.

Há ainda, etapas de testagem Beta, que são aquelas em que usuários reais utilizam o seu aplicativo e fornecem feedbacks sobre ele, de modo a apontar problemas de desenvolvimento.

Note, então, que uma tarefa como criar um aplicativo não encontra seu resultado de uma hora pra outra, pois é preciso cumprir todas essas etapas para que você não se depare com resultados desagradáveis na realização final do seu produto.

Plataformas que simplificam como criar um aplicativo

Entre as plataformas mais utilizadas para a criação de aplicativos, porém que não demandam que você seja um especialista em informática, temos as seguintes:

1. Fábrica de aplicativos

No Brasil, a Fábrica de Aplicativos é, possivelmente, o serviço mais conhecido do segmento. Permitindo que o usuário crie um app com a linguagem HTML5 mesmo sem entender de programação, sua plataforma tem uma interface bem simples e dá vida a mais de 100 apps por dia.

O melhor de tudo é que ele é gratuito.

2. AppMachine

O AppMachine é uma das melhores ferramentas para quem quer investir no design visual do seu aplicativo, o layout que aparecerá para o usuário. Isso, porque o resultado dele é realmente bem interessante.

O serviço tem milhares de usuários em mais de 140 países, por conta da intuitividade que sua interface proporciona ao usuário, mesmo que ele não entenda de programação. Vale a pena tentar!

3. GoodBarber

Quer investir na criação de seu aplicativo e ter um resultado profissional? Pois, então, o GoodBarber pode ser a sua pedida certa!

A solução oferece suporte para funções nativas dos sistemas operacionais Android e iOS, permite que os apps criados enviem notificações push (notificações na tela, o que é bem legal) e garantem, inclusive, SEO otimizado. Aqui, você não precisa saber como criar um aplicativo, mas informar à ferramenta como quer que seu aplicativo seja.

Claro, tudo tem um preço, e o do GoodBarber não é muito barato: vai de US$25 e US$96 mensais. Apesar de tudo, trata-se de uma das melhores ferramentas do segmento, e, assim como você quer ganhar dinheiro, os desenvolvedores da plataforma também querem!

Como criar um aplicativo: entendeu os caminhos?

Agora que você já sabe como criar um aplicativo, vai investir naquela sua proposta de startup? Não tem mais por que não tirar ela do papel!

GARANTA AQUI SUA MELHOR OPÇÃO DE INTERNET MÓVEL

Se você gostou do nosso conteúdo, então acompanhe o Blog Mais TIM. Publicamos diariamente, pois você merece estar sempre bem-informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui