A internet está cada vez mais difundida. Praticamente tudo o que fazemos envolve o acesso à rede. Esse cenário, que até pouco tempo parecia “coisa” de jovens, agora está tomando contornos diferentes, e a internet na terceira idade faz o inesperado grupo de pessoas mais velhas apresentar a taxa de inclusão digital mais acentuada entre todas as faixas etárias.

Entre 2012 e 2016 o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) verificou que o número de idosos presentes na internet mais que dobrou, subindo de 8% para 19%.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) foi além no seu recorte sobre Tecnologia da Comunicação e Informação, apontando 24,7% em 2016. Segundo os mesmos dados, em 2017 esse número já batia a casa dos 31,1%.

O Cetic.br ainda lançou novos dados em 2019, apontando que 34% dos idosos já usaram a internet, apesar de haver acesso à rede em 58% dos seus aparelhos celulares. Servem, pois, para fazer chamadas de voz e vídeo, compartilhar conteúdos que acham interessantes e, sim, fazer compras online.

A internet na terceira idade tem potencial para melhorar a saúde nessa fase da vida, permitindo independência e liberdade aos idosos. Além disso, ela pode diminuir as distâncias que naturalmente chegam com a mobilidade “relativamente” reduzida desse momento.

QUER UM PLANO FAMILIAR? CONHEÇA O TIM BLACK!

A internet na terceira idade

Agora é um fato: aquela história de achar engraçado ver o vô ou a vó navegando ficou pra trás! A normalidade da internet na terceira idade foi instanciada, e mais da metade dos idosos conta com o acesso à rede à mesma distância que você: apenas um clique!

Apesar de 58% deles terem acesso à internet pelo smartphone (a magia da telefonia móvel), apenas 8% deles usam computadores nessa tarefa. A justificativa, porém, é até entendível. Eles alegam dificuldade em se familiarizar com os comandos necessários para mexer neles.

Como a intuição impera sobre os celulares, que contam com poucos apetrechos nas interfaces com que os idosos estão acostumados nos smartphones (existem versões alternativas de visor adaptadas para idosos), pode ser que ela faça falta ao se depararem com a interface de um Windows ou macOS. De Linux, então, nem se fala!

Existem também celulares específicos para idosos, porém esses contam com menos recursos.

Algumas questões chegam até a ser curiosas, mas é culpa do estigma que carregamos em nossas cabeças, o qual, inclusive, transforma dados de pesquisas em curiosidades que nos fazem sorrir. O SindiLojas de Porto Alegre verificou que 49% dos idosos compra produtos pela internet. Por essa talvez você não esperasse!

Fato é que, nesse momento de ebulição da internet na terceira idade, é preciso, pois, fazer com que a inclusão equilibre os benefícios com a educação digital, para que essa parcela da população possa frear as estatísticas. Porque são os mais vulneráveis à criminalidade nas redes.

Benefícios da internet na terceira idade

Os benefícios que a inclusão da internet na terceira idade proporciona são diversos e abrangem não só o acesso às facilidades com que já contamos todos os dias. Cada vez mais, pesquisas mostram que essas benesses se relacionam intimamente com aspectos relacionados à saúde mental e à diminuição do declínio cognitivo.

Então, nada melhor do que proporcionar todas essas melhorias à vida dos nossos idosos.

Saúde mental

Sabia que uma pesquisa publicada na revista científica PLoS One apontou que a internet na terceira idade é capaz de diminuir os riscos de demência em até 40%? Pois, você não leu errado!

Estamos falando sobre, literalmente, uma maneira de frear o declínio cognitivo que o passar do tempo impõe à maioria das pessoas que envelhecem.

Leia também: O que é necessário fazer ao trocar de celular?

Depressão

Depressão é o mal do século XXI, segundo a Organização Mundial da Saúde. Silenciosa e incompreendida, atormenta um grande número de idosos, sobretudo por conta da eventual incapacidade de realizar tarefas de maneira independente ou pela sobreveniente perda constante de parentes e amigos.

Porém, essa doença pode ter sua chance de desenvolvimento reduzida em até 30%. Pelo menos é isso que diz um estudo realizado na Universidade de Michigan.

Então, quem sabe um celular para o vovô não seja uma boa ideia?

Memória

A memória sofre com declínio, e esse parece ser imparável em todo e qualquer ser humano. Porém, pode ser que a internet na terceira idade auxilie nesse transtorno.

A Universidade de Passo Fundo, do interior do Rio Grande do Sul, apontou que o uso da internet pode reduzir o número de esquecimentos que chegam com a velhice.

Diminuição das fronteiras

As redes sociais não pertencem aos jovens, pois os mais velhos estão cada vez mais presentes! E círculos sociais têm um grande papel nesse contexto.

Atualmente, as chamadas de voz e vídeo são uma prática constante em grande parcela dos idosos na internet. Seja para se comunicar com filhos, seja para se comunicar com amigos, parece que se comunicar enxergando o outro tem um grande poder de atração sobre eles.

Encontrar novos amores

Não pense que só de jovens vive os aplicativos de encontros! A internet na terceira idade também serve para aproximar os mais velhos para amores ou sexos casuais.

Se você acha que parece absurdo, é porque ainda não ouviu falar sobre o Stitch e o B2. Exclusivamente dedicados às pessoas da terceira idade, os dois aplicativos são plataformas para encontrar parceiros com interesses afins, no maior estilo pegação – às vezes.

Porém, utilizando os filtros de busca, é possível constatar com facilidade que eles não se envergonham de meter a cara inclusive no Tinder!

Cuidados para a internet na terceira idade

Apesar de os idosos adotarem os comportamentos comuns aos dos mais jovens na internet, eles têm a navegação mais despreocupada em relação à segurança digital. Isso, então, os torna um dos principais alvos de ataques digitais nas redes.

Por isso, é preciso estar atento a algumas questões e tomar algumas precauções..

Compras em sites confiáveis

Se você integra o grupo da internet na terceira idade, ou se você conhece alguém dele, essa recomendação é clássica! Compras pela internet devem ser feitas em sites confiáveis! Porém, é difícil entender como funcionam os mecanismos de reputação quando não se é um nativo digital ou pelo menos um equivalente.

Assim, é interessante estar ciente de ferramentas disponíveis, como o Reclame Aqui. Ou, talvez, o clássico “será que é?”.

Como as fraudes estão cada vez mais elaboradas, páginas que simulam ofertas reais com preços abaixo do mercado podem ser iscas poderosas aos idosos. E aos mais jovens desavisados, vale dizer.

Portanto, atenção! O TIM Protect pode ajudar nessa dificuldade!

Senhas

Nunca repasse senha alguma a pessoa que não seja da sua confiança.

Redes sociais, e-mails e contas como as do Google ou do iCloud são pessoais e não podem ser compartilhadas, sobretudo porque o acesso a informações confidenciais se torna facilitado. Sobretudo em tempos de arquivamento em nuvem.

Links suspeitos

O clássico link recebido por e-mail ou SMS só deve ser aberto quando for de uma fonte de que se saiba a procedência.

Além disso, se um SMS chega a partir de um número normal dizendo ser de banco ou loja, desconfie. Empresas mais tradicionais têm usado cada vez mais números especializados, com 3 ou 4 números, somente.

CONTRATE AQUI UM PLANO TIM BLACK PARA A FAMÍLIA

Se você gostou do nosso conteúdo, então acompanhe o Blog Mais TIM. Publicamos diariamente porque você merece estar sempre bem-informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui