Você sabe o que é realidade virtual? O conceito parece moderno, mas não é tão novo assim. Trata-se de criar a ilusão de que a pessoa está em um determinado ambiente sem que realmente ela esteja. E, com o advento da evolução tecnológica, esse tipo de feito tem ganhado contornos cada vez mais interessantes.

Quando falamos sobre realidade virtual, o primeiro que nos vem à mente é um ambiente criado por um sistema computacional. De fato, esse é o conceito do termo na modernidade. E, como exemplo, podemos destacar os headsets, os óculos tridimensionais imersivos que fornecem imagens e sons criados virtualmente e que interagem com os movimentos do usuário.

Contudo, esse tipo de mecanismo figura no imaginário humano desde séculos atrás. Uma volta ao passado nos remeteria a 1838, quando os primeiros óculos estereoscópicos foram criados pelo britânico Charles Wheatstone. Estéreo significa dois canais com estímulos diferentes, e é justamente o que é esses óculos faziam.

Num protótipo de óculos 3D, cada olho tinha como estilo uma imagem diferente. Assim, criava-se a noção de profundidade, a qual diferencia a visão humana da simples olhadela a uma foto. Numa imagem estática, a visão é plana, enquanto no estímulo estéreo a visão acaba sendo alimentada com duas fontes, causando a impressão de fundo e plano.

Contudo, a simples tecnologia de criar um plano e um fundo se tornou obsoleta, apesar de os cinemas 3D estarem em alta. A nova onda do momento é a realidade virtual aumentada, imersiva, interativa, na qual o movimento do usuário consegue determinar o que é visto no cenário.

Se você quer saber o que é a realidade virtual, saiba que tem um monte de coisas interessantes pra descobrir.

Leia também: Reconhecimento facial é a nova tecnologia de impressão digital

PROCURANDO REDES SOCIAIS LIBERADAS? NA TIM TEM!

O que é a realidade virtual

O britânico Charles Wheatstone criou a primeira forma de enganar o cérebro a fim de criar uma imagem que não fosse real na percepção humana. Dando uma imagem a cada olho, forjou uma forma de fazer com que os estímulos visuais fossem interpretados com profundidade. Esse é basicamente o mesmo sistema empregado atualmente nos cinemas 3D.

A partir daí, tinha-se um universo digital personalizado, dando a sensação de presenciar um determinado lugar alheio à realidade, e ainda assemelhando-o à forma com que os seres humanos enxergam o mundo. É justamente a dualidade plano e fundo que nos faz ter a maior parte da percepção visual que temos.

A realidade virtual conhecida atualmente vai muito além disso. Primeiro, porque ela é capaz enganar os principais sentidos humanos com base em estímulos forjados virtualmente. Os sistemas computacionais acabaram por ser dedicados a criar cenários inclusive interativos com os quais o usuário pode criar a sensação de presença em outra situação, que não aquela que vive no momento.

Os óculos de realidade aumentada são o melhor exemplo disso. Através deles, é possível viajar para lugares distantes, muitas vezes irreais, ouvir os sons do ambiente, além de direcionar o olhar a depender do movimento do corpo. Em situações extremas, é possível inclusive ter sensações táteis forjadas pela tecnologia.

Então, podemos dizer que realidade virtual, de uma maneira geral, sem distinguir passado e presente, trata-se de uma forma de levar o ser humano a interpretar um estímulo sensório tal como se ele fosse a realidade do seu momento. Ou seja, como a tecnologia é capaz de nos levar a lugares onde não estamos.

Como a realidade virtual evoluiu

Sabidamente, a tecnologia evoluiu muito, sobretudo nas últimas duas décadas. Só para se ter uma ideia, nem parece realidade que o primeiro smartphone tenha surgido somente pouco mais de uma década atrás. A imersão visual, porém, também merece destaque, pois ela vem ganhando cada vez mais avanços nos últimos anos.

Quando nos perguntamos o que é a realidade virtual, a resposta até parece ser simples, mas a justificativa para o seu avanço desenfreado é digna de uma atenção especial. Como o desenvolvimento tecnológico foi muito avançado recentemente, tornou-se possível realizar interpolação de imagens de maneira tão rápida que o efeito acaba cada vez mais se aproximando da realidade.

Ou seja, o processamento de imagens e a correção de distorções das lentes que as geram ocorrem tão rapidamente que essa criação virtual acaba simulando uma imagem natural – o olhar humano. Além disso, o acréscimo de estímulos sensoriais distintos, tais como o auditivo e o tátil, aumentam a sensação de realidade, a qual, apesar de forjada, simula uma realidade natural.

Mesmo que a ideia tenha sido criada em 1838, o termo realidade virtual só apareceu um século mais tarde, em 1938, no livro “Le Théâtre et son double”, do autor francês Antonin Artaud. A sugestão, aí, era a de que a “ilusão natural de personagens e objetos criava uma realidade virtual”. Ainda que o termo fosse novo, o principal experimento do autor era uma reprodução daquilo que propunha seu “antecessor”.

Onde a realidade virtual se aplica

A realidade virtual parece coisa moderna quando discutimos tecnologia, mas ela pode ser mais antiga do que parece. Desde a década de 70, soldados e agentes americanos são treinados em ambientes simulados, virtualmente criados. É claro que, nessa época, os gráficos poderiam ser limitados, mas a utilização da metodologia já é cinquentenária.

No Brasil, Hermer Pardini usou vídeos animados e interativos para que enfermeiras fossem ajudadas no momento de vacinar crianças. Neles, os pequeninos se transformavam em super-heróis, facilitando o trabalho de profissionais da saúde.

Em tempos modernos, discutir o que é realidade virtual encontra a resposta no Mundo dos Games quando falamos sobre o público em geral. O Oculus Rift e o Samsung Gear VR popularizaram a tecnologia, permitindo aos jogadores que literalmente se sentissem dentro dos cenários de ambientação dos jogos.

O ambiente simulado vem cada vez mais permitindo a interação do usuário com o software. Assim, os sensores dos dispositivos vêm se tornando cada vez mais apurados, tornando possível que o ambiente pareça cada vez mais real e palpável.

Contudo, fora disso, os treinamentos com soldados têm se tornando cada vez mais comuns. Neles, a simulação de um ambiente de guerra é possível mesmo que ele esteja em solo nacional, antecipando situações que poderão ser vivenciadas no futuro.

Para falar do presente, muitos psicólogos utilizam óculos de realidade virtual como uma terapia para tratar fobias em pacientes. A metodologia tem mostrado muitos efeitos positivos, garantindo a integridade física dos usuários mesmo enquanto eles realizam ações em um determinado ambiente simulado, virtualmente forjado.

Os óculos de realidade virtual

óculos de realidade virtual

Os óculos de realidade virtual – ou headsets – vêm fazendo cada vez mais sucesso. Com eles é possível criar a ilusão de profundidade, além de ter o estímulo auditivo do ambiente criado virtualmente.

Outra coisa legal é que eles seguem o movimento dos usuários. Assim, é possível direcionar o olhar para onde quiser, criando uma sensação de realidade maior. Isso, claro, além de a tecnologia criar a sensação de profundidade, o que torna a experiência ainda mais realista.

Se você estiver pensando em adquirir um brinquedo de gente grande novo, esse é um ao qual vale a pena dar atenção!

Leia mais: Qual o melhor plano de internet para youtubers? Confira dicas!

GARANTA AQUI A MELHOR OPÇÃO DE INTERNET MÓVEL E FIQUE ONLINE

Se você gostou do nosso conteúdo, então acompanhe o Blog Mais TIM. Publicamos diariamente, pois você merece estar sempre bem informado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui